Games de Terror Final

Bom galera o Halloween já passou, muita gente já curtiu festas sobre esse tema que nada  tem a ver com nossa cultura, mas que sempre acaba se fazendo presente nos finais de Outubro principalmente por motivos comerciais.

Escrever sobre games de terror em épocas perto da comemoração do Halloween ou em uma sexta-feira 13 é bastante oportuno ou clichê. Mas aproveitei o embalo e também o fato de ter terminado a pouco tempo o excelente Silent Hill 3, para escrever um pouco sobre os games de terror, o gênero chamado “Survival Horror” que é composto por games que tem a intenção de assustar o jogador, assim como filmes já fazem a muito tempo.

Muitos gamers mais novos podem achar que o gênero de games  Survival Horror surgiu com o lançamento de Resident Evil em 1996. De fato  Resident Evil  foi um game que marcou, teve grande popularidade ajudou a definir um gênero de jogos. Porém o mundo dos games começou a explorar o tema “terror” desde o começo da década de 1980, ainda no Atari 2600, ou apenas Atari  nós brazucas.

A idéia desse especial é mostrar vários games que surgiram em diversas épocas  com objetivo dar sustos  e ao mesmo tempo entreter os jogadores. Então é hora conferir a primeira parte desse especial e encarar uma viagem por cemitérios,criptas,mansões esquecidas, cidades abandonadas e se preparar para encarar zumbis, vampiros , demônios e mais um monte de criaturas das sombras.

hallowcvgkg8

Produção: Wizard Games

Lançamento: 1983

Plataforma: Atari 2600

Pois é , embora os games de terror só tenham recebido uma classificação própria na geração 32 Bits ,  fato é que desde o Atari 2600, os fabricantes aproveitam para lançar games explorando esse segmento. Na minha pesquisa para esse especial , descobri coisas que nem esperava e uma delas é o game Haloween, lançado em 1983 para o Atari 2600, o jogo é baseado no filme homônimo de 1978, que tinha como destaque o assassino Michael Myers. O jogo foi produzido  pela Wizard Games, uma divisão da Wizard vídeo, empresa que possuía os direitos de distribuição em VHS das séries Texas Chainsaw Massacre (Massacre da Serra Elétrica) e Halloween.

Claro que com o crescimento da indústria de games e o Atari 2600 em alta, os  nossos amigos da Wizard Videos não poderiam deixar de capitalizar em cima do público que assistia aos filmes e o logo criaram um divisão da empresa para produzir jogos baseados nos filmes. Sim !  Mais de 20 anos atrás empresas já tentavam lançar games baseados em filmes e o resultados em geral  são como os de hoje,  games de medianos a ruins.

No jogo  você assume o controle de uma garota que trabalha como babá  e terá que salvar crianças que estão espalhadas pelas salas de uma casa, antes que nosso amigo serial killer Michael Myers acabe com elas. O game segue desta forma até que jogador perca todas as suas vidas, pois como vários games do Atari, a dificuldade aumentava e o game seguia infinitamente, assim como o clássico enduro.

Quando o jogador era pego, a garota tinha sua cabeça cortada e ficava com o corpo correndo e jorrando sangue (Sim a violência está nos games desde os primórdios!).

Por aqui o jogo foi chamado de Sexta- Feita 13(????????).  Não entendi como  colocaram o título dos filmes de Jason no game de  Michael Myers. Mas enfim, devido aos “incríveis gráficos” do game, não faria diferença se fosse Michael Mayers, Jason Voorhees, um carregador de mudanças ou qualquer mané de vestindo um macacão cinza.

Engraçado que mesmo nos Estados Unidos o game foi lançado de forma bastante sem vergonha, pois nem ao menos uma ilustração do game havia no cartucho, apenas havia  um papel escrito “Halloween” em um pilot cor de abóbora.  Mas sério a embalagem do game tão era safada  que parecia até aqueles DVDs/CDs que todo mundo já comprou no camelo pela grande oferta de 3 por R$ 10,00.

Porém havia também uma  versão que possuía capa, embora depois de muito analisar não conseguir entender  do que se trata a imagem na capa do game, se alguém tiver uma idéia pode falar.

challoweenfrontia2

Mas brincadeiras a parte, o game até que funcionava bem para época que foi lançado, tinha a inconfundível trilha sonora do filme e também por ter uma das primeiras cenas de violência da história dos games e explorar o tema terror.

Review do Angry Video Game Nerd

Sweet Home

Sweet Home-1

Produção: Capcom

Lançamento: 1989

Plataforma: NES

Agora vamos falar do game que segundo Shinji Mikami, foi a fonte de inspiração para o projeto  Resident Evil, no game o jogador assume o controle de 5 personagens vão até a mansão de um famoso pintor para fazer um documentário  sobre sua vida e  suas obras de arte que permanecem no local, mas acabam sendo pegos pelo espírito da esposa do pintor e aí que começam os problemas para os personagens.

O game apresenta uma visão aérea  é possível escolher  entre vários personagens, cada um com uma habilidade distinta que ajudará o jogador a encarar as dificuldades do game , como a enfermeira que carrega kits médicos que ajudam a curar o seu time ou ainda a menina carrega uma chave especial que pode abrir diversas portas especiais, os combates são feitos por no estilo RPG, por turnos com o jogador podendo selecionar opções como atacar , defender e fugir.

Interessante as semelhanças entre Resident Evil e Sweet Home, o fato de ambos passarem em uma mansão no meio da floresta, aqueles “loads safados” disfarçados de cenas de portas abrindo. E  claro zumbis também aparecem nos dois games, interessante  ver como  a Capcom quase 10 anos após o lançamento de Sweet Home usou muitas influências desse game antigo em Resident Evil , que foi o game qual definiu e popularizou o gênero Survival Horror.

Sweet Home nunca foi lançado fora do Japão, por isso quase ninguém conheceu o game, ainda mais aqui no Brasil. Mas se tem curiosidade vale a pena pegar um emulador de NES, pois hoje não é difícil encontrar uma ROM de Sweet Home traduzida para inglês.

Dê uma olhada em como é o game

Sexta- Feira 13

friday_the_13th_box

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Produção: Galoob

Lançamento:1988

Plataforma: NES

Se games baseados em filmes de terror estavam ficando populares nosso amigo Jason, o apreciador de grandes facas afiadas não poderia ficar de fora disso. Pois se Michel Myers tinha um game, porque o assassino de Cristal Lake também não teria um? Toda a ação do game acontece no acampamento do Lago Cristal, morada de Jason, onde o jogador deverá andar por diversos caminhos do parque para salvar seus amigos do afiado facão de Jason.

O game tem uma jogabilidade 2D, dividida duas partes,em  uma delas em que o jogador anda  por várias trilhas do acampamento do Parque Cristal  procurando chalés onde possa resgatar seus amigos de Jason. Essa parte lembra um pouco o clássico Ghosts and Ghouls, porém com gráficos mais coloridos. Já a outra parte da jogabilidade acontece  dentro dos chalés onde a visão muda para as costas do personagem e o jogador resolve pequenos quebra cabeças antes de enfrentar Jason.  O jogo foi considerado por muita gente na época bem difícil, destaque para as aparições extremamente apelonas do Jason que muitas vezes surgia de repente e com uma velocidade 10 vezes maior que a de seu personagem.

Video

Nightmare on Elm Street

VGD00565

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Produção: Rare

Lançamento:1990

Plataforma: NES

Nightmare on Elm Street é o título original de  “A Hora do Pesadelo”, série de filmes criada por Wes Craven, que tem como vilão e principal personagem o  vilão Freddy Krueger, imortalizado pelo ator Robert Englund.

Bom, se Michel Myers e Jason Voorhees tinham seus jogos,obviamente  Freddy Krueger como ícone de filmes de terror da década de 80 também deveria  também deveria ter o seu.

O game colocava o jogador na pele de um jovem que deve  encarar Freddy, para sair do pesadelo . O game tem a jogabilidade voltada para o gênero plataforma e ação porque é necessário ser bastante preciso nos pulos, principalmente para recolher os itens que muitas vezes ficam em lugares difíceis de alcançar e para terminar as fases era necessário coletar todos os ossos de Freddy espalhados pelo local. No início você conta apenas com socos para encarar  inimigos como aranhas gigantes, ratos, morcegos, esqueletos e zumbis , mas com o passar do game o jogador pode conseguir power ups que podem transformar seu personagem em feiticeiro ou ninja para tentar facilitar as coisas.

Nightmare on Elm Street mostrou alguns conceitos interessantes como em fases dentro das casas do rua Elm onde se sua energia , chegasse a zero o game iniciava o modo pesadelo, onde os inimigos mudavam e a fase ficava bem mais difícil, tudo bem que algo semelhante já havia sido feito em Castlevania II: Simons Crest, outra característica interessante era o fato de até 4 pessoas poderem participar das partidas.  O game tem alguns problemas principalmente ligados a falta de precisão nos saltos e poder muito ruin de encarar os inimigos sem os Power ups.  Mas caso tenha um emulador de NES no seu PC vale a pena dar uma conferida no game e encarar mais um pesadelo de Freddy.

Video

Alone in the Dark

29

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Produção: Infogrames (Atualmente Atari)

Lançamento 1992

Plataformas: PC , MAC , 3DO

O primeiro game desta série é considerado o pioneiro do gênero survival horror por ter características como cenários pintados e personagens em gerados em 3D. Ok os personagens eram feios pra caramba, mas lembrem-se, estávamos em 1992 com PCs 386/486, então isso pode ser considerado um grande feito.

A história conta que Jeremy Hartwood cometeu suicídio na Mansão Decerto na Louisiana, você assume o controle de Edward Carnby, um detetive particular e Emily Hartwood , sobrinha de Jeremy , para tentar descobrir o que aconteceu  e desvendar os mistérios do local. Durante o game vários elementos  que se tornaram populares com Resident Evil e viraram padrão estão lá, como criaturas quebrando janelas, inimigos surgindo de repente, itens encontrados em um lugar e utilizados em outro lugar distante, câmeras colocadas em lugares estratégicos, além da parte sonora que funcionava muito bem, colocando músicas tensas nos momentos onde surgiam as criaturas.

Primeiro Alone in the Dark era baseado nos livros do escritor H.P Lovecraft e ainda teve duas continuações produzidas pela mesma equipe da Infogrames Alone in the Dark 2 que embora tivesse gráficos melhores,  não foi muito bem recebido pela crítica e por jogadores por causa de seus problemas de jogabilidade, principalmente com o sistemas de câmeras ruin.  Já Alone in the Dark 3 manteve os mesmo gráficos, porém com o game mais fluído e com mais velocidade, mas com poucas inovações apenas repetindo o que já havia sido feito nos episódios anteriores da série.

Alone in the Dark mais tarde ainda teve o episódio The New Nightmare lançado para PS1 e PS2 e uma nova versão chamada apenas Alone in the Dark, que foi lançada para PS3, X360 e PC, mas falarei dessas versões em outra oportunidade.

Vídeo

Isso aê , essa foi a primeira parte do especial galera, espero que tenham curtido e podem postar pra dizer o que acharam,  até a próxima.

comentários
  1. Cris disse:

    Tive atari, mas nem sabia que existia esses jogos. Quando adquiri o 3DO joguei ”alone in the dark” que é muito bom comparado com a versao PC.
    OBS: voce esqueceu do jogo para megadrive muito famoso Splatterhouse, que nasceu no arcade, depois pc engine, parece que saiu uma versao pra dreamcast. No Brasil era chamado de sexta-feira 13, nao sei porque. Site do jogo http://splatterhouse.kontek.net/games.html

    • André Leonardo disse:

      Pois é, na verdade são muitos os games de terror, na época que fiz esse especial preferi selecionar só os bem antigos e mesmo assim deixei muitos games de fora.

      Eu lembro de Splatterhouse, também chamado por aqui de “Jogo do Jason” hehe, que inclusive ganhou um remake a pouco tempo.

      Pode deixar que falarei dele em um outro especial !
      Valeu aí pelo comentário.
      See ya

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s