Esse ano foram lançados alguns filmes baseados em games como Street Fighter: A Lenda de Chun-Li e Tekken, como já era de se espera nenhum deles foi grande coisa, na verdade os filmes foram bem ruins .

Agora foi a vez de The King of Fighters, filme baseado na franquia de games de luta da SNK que está nos games de 94. O filme ficou em produção por muito tempo e quase nada havia sido revelado até seu discreto lançamento, apenas um trailer surgiu na internet e nada mais. Provavelmente o diretor Gordon Chan (O Medalhão)  já sabia o tamanho da  bomba  que tinha nas mãos, então pelo jeito resolveu não mostrar nada para ver se as pessoas acabariam  acreditando que o filme poderia agradar de alguma forma.

O texto abaixo tem alguns spoilers , embora isso não faça muita diferença, afinal o filme é tão ruin que ninguém vai querer assistir mesmo…

Primeiramente como todo gamer que acompanha adaptações cinematográficas de jogos, eu  fui assistir o filme sem esperar muita coisa, principalmente sabendo que o filme seria de baixo orçamento e feito por uma produtora desconhecida.

Mas ainda assim fui mentalizando aquela frase do seriado Arquivo X  “I want believe”, sim eu queria acreditar o que o filme não seria horrível, mas infelizmente aconteceu o que eu imaginava.O filme é uma porcaria, de fato é tão ruin que sem dúvidas é digno do prêmio Framboesa de Ouro, dado aos piores filmes já produzidos.

O filme é uma falha completa por causa das incoerências em relação ao game, somada a péssima caracterização dos atores e a tentativa bizonha de criar um roteiro novo onde nada se encaixa.

O história é confusa, pois  faz uma mistura sem noção que não chega a lugar nenhum, misturando a lenda de Orochi, artefatos místicos com tecnologia fajuta. Pois vejam só, os lutadores disputam o torneio numa dimensão paralela e são transferidos pra lá  através de super telefones celulares !

Ah sim, o raio da dimensão paralela não passa de uma droga de corredor escuro com 3 portas onde o nanico Rugal convenientemente colocou seu trono e fica esperando os infelizes lutadores aceitam seu desafio via SMS.

O filme tenta parecer sério o todo o tempo, mas os diálogos são ruins tanto para fazer a trama se desenvolver, quanto para que os personagens cativem o expectador. Uma coisa que até agora não entendi: “Qual a razão de fazer um triangulo amoroso entre Kyo, Iori e Mai?”.

Na moral, filme deve ter sido gravado em apenas um dia, pois a cenografia é muito pobre, com  locações  muito fuleiras e provavelmente o local mais caro da produção deve ter sido o museu que ocorre uma exposição no início do filme.

A caracterização dos atores é muito mal feita, por exemplo:  Mai Shiranui a ninja gostosa da série. No filme é uma agente da CIA interpretada por Maggie Q, que até é bonitinha e tal, mas está longe de ter um corpo que faça jus as curvas da personagem, além ter tanto carisma quanto uma porta, pois além de sua atuação fraca, o roteiro não ajuda.  Ah sim, esqueçam os trajes de shinobi da moça, pois no filme não tem nada disso. Mas fiquem tranqüilos, pois vai piorar.

Rugal, Mature e Vice

Rugal Berstein o grande vilão dos games é um cara de quase 2 metros, cheio de músculos e uma atitude arrogante, num estilo típico de um cara que tem todo dinheiro possível. No filme o personagem é interpretado por Ray Park, ator e dublê que ficou famoso por interpretar Darth Maul em Star Wars: A Ameaça Fantasma, só que o ator não tem nada a ver com o personagem, pois Ray é ridiculamente baixo se comparado a Rugal e também não é forte.

Ok, talvez não fosse tão fácil encontrar um ator que fosse fisicamente parecido com o personagem. Além disso o problema foi agravado(de novo) pelo roteiro cretino que transformou um vilão de atitude arrogante, tipicamente aristocrata num bandido baixa renda genérico. A cena que vi Rugal vestido de jogador de hockey correndo e rindo como um maluco  quase me derrubou da cadeira e por pouco não abandonei o filme ali mesmo. Mas vamos seguindo.

Kyo Kusanagi, o herói é interpretado por Sean Ferris, mas agora uma pergunta importante: “Desde quando Kyo Kusanagi é americano ???”

Os caras só podiam estar de brincadeira…

O filme é tão mal montado, pois em certa parte que Kyo tem um flashback, lembrando do treinamento com seu pai, o personagem é representado por um adolescente  visivelmente oriental, contudo  Kyo adulto nada tem a ver com o povo do oriente!

Como será que ocorreu essa incrível mudança? Será que ele fez alguma plástica? Ou no mundo do filme, orientais deixam de ser orientais quando saem do oriente? Isso até poderia ser engraçado se fosse um filme de comédia, mas infelizmente não é o caso.

O que dizer de Iori Yagami, que é interpretado por um Will Yun Lee, com seu visual japa cabeludo genérico que parece 10 anos mais velho que Kyo. Sem falar do fato que na grande trama do filme, pois Iori lutou junto com o pai de Kyo contra orochi.

Mature e Vice estão lá só para constar, mas seguindo o grande padrão de qualidade da produção, também não se parecem em nada com suas versões dos games.

Mas a cereja no bolo é Terry Bogard que é interpretado por um ator muito velho.

Enquanto o personagem em sua versão mais velha no game Garou: Mark the Wolves deve ter no máximo uns 30 anos, o ator que faz o papel tem facilmente mais de 40, ou está muito acabado, devido a cara mais cheia de rugas.

Terry também é agente da CIA e passa o filme todo de terno, contudo após passar pelos mágicos portais inter-dimensionais ele aparece com uma roupa que tenta lembrar a roupa do  personagem original, se bem que na verdade lembra mais uma roupa de vendedor ambulante ou fiscal da CET- Rio.

As lutas são muito rápidas e mal coreografadas, não criando impacto algum a quem assiste, sem mencionar os efeitos especiais de terceira categoria, em níveis similares a coisas como Power Rangers, mas nem vale ficar falando mais sobre isso.

Apenas sigam meu conselho e não assistam essa porcaria de filme, melhor assistirem a um bom filme,  namorar, jogar, plantar uma árvore, pois  vocês estarão ganhando mais duas horas em suas vidas.

See ya !

Trailer do Filme para que vocês não assistam:

comentários
  1. Fabio disse:

    se eu tivesse lido isso antes nem tinha baixado este filme nojento,ja o tekken segue os estilos de roupas.

    • André Leonardo disse:

      É cara eu como fã de KOF encarei achando que o filme seria ao menos razoável e teria boas lutas, porém me enganei totalmente.
      Infelizmente também assisti o Tekken, digamos que é “menos pior” que KOF, mas também é muito fraco, só tem uma ou duas lutas razoáveis.

  2. Anderson Thadeu disse:

    Eu também, se tivesse lido isso antes não tinha queimado minhas retinas vendo aquela perola, e outra esperem vai sair um Remake de Mortal Kombat, vão por mim vai ser umas das maiores merdas igualzinho a esses filmes ai.

    • André Leonardo disse:

      Cara esse filme de KOF foi realmente uma das piores produções cinematográficas que já vi. Na verdade desde os trailers eu já não levava fé, mas como fã dos games resolvi encarar e vi aquela coisa hedionda ! hehe

      Já Mortal Kombat Rebirth, na verdade vai ser uma série para internet, que vai colocar MK num contexto diferente, seguindo a linha de um trailer que foi lançado meses atrás.
      Eu acho que pode ficar legal, porque a Warner está por trás do projeto e o diretor pretende seguir os moldes do game, com um clima sombrio e violento. Ou seja, nada de filminho água com açucar. Por isso acho que pode ficar legal, mas só veremos isso daqui a uns meses.
      See ya !

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s